07 maio 2015
Viagem

As casas barcos de Amsterdam

Ainnn, gentenn escrever o mínimo sobre a Holanda pra mim é mesmo muito bom, me deixa extasiada, com aquele sorrisão bobo, quase lisérgico, toodo dãã. Quando imaginava, bemmmmmm remotamente, uma viagem pra Europa, a Holanda, ou melhor, o País Baixo (porque este é o verdadeiro nome do país e ainda no singular, crê? :D) era o primeiro lugar que vinha à mente. A primeira lembrança é da adolescência, quando li “O Diário de Anne Frank” e chorei até dizer chega. Tá vendo esse zoião? Pois é, ficou pequeno. E mais tarde, quando me apaixonei por Van Gogh. Até sonhei com o cara…. Êê diaxo, sei que tu tá doid@ pra saber, mas não foi coisa de osadia 😀 Sonhei que ele tinha cortado a orelha (repara que não tenho orgulho pra te contar uma coisa dessas) e já com o curativo, ele sentou no meu colo e eu falei: ” Pô, Van, se mata não, bicho, tu é tão maravilhoso, tão foda, tão bom… hein?” Como se esperasse ele falar que não ia. E meu sonho acabou………… Hahahahahahahaha que edeóóta eu! Mas fãs entenderão, eu sei!

Tá bom, chega de falar merdjénha. Calhou de vir pra cá pra Paris temporariamente e conhecer Amsterdam e outras cidades pequenas junto com um grupo massa pra caramba. Passei por lugares lindos, encantadores e outros que me viraram a alma como o esconderijo da Anne, o museu do muso, enfim, pra guardar pra sempre na memória e no coração. Mas assim como tem sido aqui em Paris, busco muito mais viver os lugares em vez de ficar me preocupando em fotografar tudo. Porque penso que pode ser a primeira e última vez que venha, então, aproveito cada cantinho, cada lugar de forma inteira. Claro que tem muita coisa que dá pra mostrar e passando por Amsterdam é difícil não fotografar os prédios lindos e muitos tortinhos por conta dos canais , além das famosas casas barcos.

Elas são muitos lindas. Encontrem a novidade na frase 😀 Sériooo, minha gente, são adoráveis. Segundo o Ducs Amsterdam, melhor blog ever sobre o lugar, existem 5000 casas barcos pelos canais da cidade. E nenhuma a mais. Ficam espalhadas à beira dos canais. Canais estes que são em maior número que Veneza. Não sabia!

1

Conta a história que elas começaram a aparecer na década de 70, tanto em forma de barcos e depois, como casas, com apoio de bases de tijolos e concreto, como em uma construção. Isso porque metade do nível das casas ficam abaixo da água por questão estrutural, pra dar estabilidade. Arquitetos podem te explicar melhor.

2

7

É mesmo como uma casa em solo, com estacionamento e tudo. O morador chega de carro ou a bike, deixa tudo em frente e entra em casa. Ou então, tem lá o seu barquinho ancorado ao lado da casa, porque é mesmo um meio de transporte bem comum. Além disso, energia, gás, pra cozinha e aquecedor, esgoto devem ser corretamente instalados e ligados como em uma outra casa qualquer. Vai ter gente tosca jogando lixo à beira da casa? Vai, eu vi.

4

Olha a entrada dessa <3

6Mais uma…

15

Elas se espalham canais afora e são de todos os tipos. Com ou sem andar, com varandas em frente ou no telhado.

8

Do telhado dessa, o morador descansa e do outro lado do canal, uma casa em solo.

9

Quem passa de barco ou pelas pontas, enxerga as casas barcos tranquilamente. Na verdade, Amsterdam me fez questionar esse conceito de privacidade. A altura do peitoril das janelas (do solo até onde começa a janela) é mínima e elas são largas, grandes. Foi muito comum a gente passear pelas ruas e quando olhar pro lado, tá lá o tiozão esparramado no sofá com a perna aberta. Sem cortina pra aproveitar a luminosidade. Mas no meu caso e onde vivo, privacidade tá ligada diretamente à segurança, néamm?

Pelo Airbnb, você pode alugar uma casa barco, escolhendo a que melhor cabe no seu bolso. São opções ótimas, difícil escolher uma logo de cara. A viagem pra Holanda foi em grupo e não ficamos hospedados em Amsterdam. Ao lado, há cidadezinhas lindas, pequenas. Nós ficamos em uma e o grupo em outra, alugando uma casa incrível pelo Airbnb que atendeu, ou melhor, superou as expectativas. Já já te falo sobre as moradias do interior da Holanda.  Mas voltando, a experiência de ficar em uma casa barco deve ser uma delícia. Imagina que gostoso tomar café assim, ó:

10

Foto: Airbnb

E boa parte das casas é construída cheia de critérios, projetadas por arquitetos e por designer de interiores. Pisos em madeira, cozinha funcional e móveis aconchegantes nas menores e mais românticas. Ah, e iluminação mais que natural.

13

Foto: Airbnb

Em algumas maiores, sofisticação e interiores sensacionais.

11

Foto: Airbnb

12

Foto: Airbnb

Pronto, agora já sei como a coisa funciona. Se rolar uma próxima, a beira do rio vai ser destino certo!

14

Beijo, genten!

 


2 respostas para “As casas barcos de Amsterdam”

  1. Juliana Amado disse:

    Evinha! Li esse post com um sorrisão no rosto! Por me sentir inspirada, por me sentir feliz por você. Viajar é uma delícia por si só. Viajar se inspirando é melhor ainda! Não será dessa vez que conhecerei a Holanda, mas também é um dos lugares que eu adoraria conhecer. Também adoro Anne Frank e Van Gogh.
    Na boa… sorry, mas eu ri de você contando seu sonho com o Van Gogh. hahahaha. Você diz que não, mas você é muito engraçada. Me divirto horrores lendo seus posts! =P E me empolgo junto!

    Beijos

    • Eva Mota disse:

      Hahahahah oo Ju, tu é muito querida, bicho, sério e ainda riso frouxo que nem eu hahahah <3 Que bom tu gostou! Realmente foi um sonho. Eu JAMAIS pensei em um dia conhecer esta terra que eu tanto queria. Não sofria com isso não, sabe? Mas era algo tão distante, que eu nem tchun.. Então, quando me vi nela, eu não tirava meu sorriso do rosto, afff, parecia que tinha aplicado botox errado hahaha e fiquei assim, com a carona e pastel olhando pra cima. Eu espero que você também possa conhecer, tenho fé que vai! Um beijo Ju querida e me aguarda que não quero demorar muito pra ir ao RJ! <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *