Roda, menina!
27 de agosto de 2015

Dicas de Paris – Parte III

Humm, voltou, hein… Massa! Paris é mesmo instigante e sempre é bacana poder compartilhar as nossas visões sobre o mundo. É algo mesmo particular como te falei e também pouco diante de tanta coisa que foi vivida por lá. Mas se de alguma forma te ajudar, já tá valendo. Se não sabe, já saiu um primeiro e um segundo post com de dicas diversas sobre Paris. Seguindo com as últimas e maiores dicas, compras. Ê, aê tu gosta..

26 de agosto de 2015

Dicas de Paris – Parte II

Seguindo com algumas dicas sobre Paris que achei bacana te falar. Se não viu as de antes, clica aqui , beleza? Quem sabe te ajuda. E se tiver alguma pra acrescentar fica à vontade e deixa aqui nos comentários. A gente junto tudo!

TELEFONIA

Quén, quén, quénn… Quando eu li que por muitas vezes o sistema de telefonia em Paris deixava a desejar eu não botei fé. Até ficar sem sinal de cel dentro de casa e cri cri cri… Hoje em dia todo cel que conheço é desbloqueado e isso é necessário pra usar um chip na França. As principais operadoras são a Orange, SFR e Free e pra comprar um chip delas é preciso ir até às lojas. Existem outras como a Lebara, Bouygues e Le French Mobile, mas as três anteriores são as que usei e as que os amigos também

A Orange foi a primeira. Chip e o plano ficaram por 20 euros, mas com ligação e internet limitada. Nos viramos com ela por algum tempo até a gente se situar. Achei caro pra oferta tão ruim. Fizemos o plano da Orange do Saint-Germain des Prés.

25 de agosto de 2015

Dicas de Paris – Parte I

Ei, delícias queridas que passam por aqui, lembrei de algumas dicas legais pra compartilhar. Algumas. Porque foi tanta, mas tanta coisa…Impossível conseguir colocar aqui tudo. “Ô minina véa ruim..” Né não, gente, oxente, imagina se vou ser má contigo? Muahaha Tô brincando, ó, mas lembrei de coisa muito bacana, aquelas que podem te ajudar de alguma forma a se virar melhor por Paris e como evitar desperdiçar grana (é, porque o euro não ama ninguém) além de algumas pra te ajudar a ver Paris diferente, fugindo um pouco do olhar turístico. E se por acaso vir que esqueci algo, vou atualizando o post, então, se for viajar pra lá, passa aqui antes, hein? Foram dicas que vivemos, outras descobrimos e tantas outras que os amigos nos deram. Primeiro, aquilo que é difícil conseguir mais barato:

21 de agosto de 2015

Morando em Paris. E aí, como foi?

Eita, eu sou uma anta: eu mesma me faço uma pergunta que não consigo responder. Mas antes de buscar alguma resposta, vou tentar imitar o Cauby e com aquele sotaque muso dizer que “Voltcheii, voltcheiii…” e tava morrendo de saudade de sentar aqui pra gente prosear. Precisei suspender o serviço da Casa por um tempo, foi preciso. Era muita distração nos últimos meses de vida na Europa e não queria vir aqui pela metade.

Agora não tá faltando parte nenhuma, então, colírio no zói porque vai ter muita coisa boa por aqui e por outros meios. Sério, dou fé. Mas eu digo que sou anta porque é impossível eu te dar um resposta objetiva do que foi morar em Paris e conhecer outros lugares da Europa. Quando os amigos me perguntam, eu simplesmente digo que não sei direito, não por não ter o que falar, mas por ter muito! Foi surreal, foi maravilhoso, foi importante, foi único, foi inesquecível, foi engrandecedor, foi impulsionador. Veja, são opiniões minhas, inteiramente pessoais.

2 de julho de 2015

Barcelona y sus historias!

Barcelona é a capital da Cataluña, comunidade autônoma do nordeste da Espanha. Lá se falam Catalão, Castelhano e Arianês, mas dá pra gente se comunicar com o portunhol de boa. Por uma série de fatores políticos, econômicos e sociais, por mais de uma vez, a Cataluña reivindica ser um estado independente da Espanha, mas até onde sei, ainda não conseguiu.

1 de julho de 2015

Muy me encanta, Madrid!

Já falei e te digo de novo, porque quando gosto eu sou repetitiva: moraria em Madrid. Por um tempo, confesso, não ia aguentar as glórias dadas às touradas. É a capital da Espanha, maior cidade do país. Mas achei o clima menos agitado que Barcelona, as pessoas, os preços e a comida, sem dúvida a minha preferida, me atraíram muito.

30 de junho de 2015

Uma decor acolhedora em Madrid

Ei, seus lyndros e lyndras! Tudo bem com vocês por aí?

Já se vão 5 meses dessa experiência mais que enriquecedora na Europa. Daqui a pouco completamos os 6 e voamos de volta pro nosso cantinho, que confesso, sinto muita falta. Nem muito, nem pouco tempo por aqui, mas o suficiente para fazer desta fase, uma das mais especiais e inesquecíveis. O blog tá em standby, só na maciota esperando eu voltar pra encher esse delicioso com muita, muita coisa legal que vem por aí! Mas antes de voltar, ainda tem muita coisa pra ver, conhecer e outras viagens pra fazer! Uma delas era pra Espanha. Passar por Madrid e Barcelona era uma grande vontade que agora foi matada. E te confesso outra coisa: moraria, moraria muiiito em Madrid!

Eu achei que ela é menos agitada que Barcelona e tão linda quanto, tão interessante quanto e ainda, mais barata que todos os lugares que passamos por aqui: França, Bélgica e Holanda. Não é só pela língua, pelo clima, mas Madrid realmente nos ganhou muito fácil. O que não é difícil, porque eu sou facinha, facinha 😀 Alugamos um studio fofo pelo Airbnb com uma moça de nome de flor e super simpática, a Begoña. Repara, se for alugar com ela, foi malzaê, mas deixei meu comentário de aprovação no Airbnb e acabou virando livro em mais de uma língua 😀

Mas xô deixar de rami rami e te mostrar! O Studio com um quarto-sala, cozinha, banheiro é no sexto andar e suuuper bem localizado, em um das principais avenidas de Madrid. É rústico, romântico e aconchegante. A mesa é uma antiga porta e os nossos velhos e queridos caixotes viraram um estante. Caixotes de vinho, neste caso.

16 de junho de 2015

O marco zero de Paris – Parte II

Eu não sabia e descobri sentando a buzanfa pra ler, que Paris nasceu na verdade por meio do povo de uma tribo, os “Parísios”. Era um povo celta que vivia por aqui até a dominação romana. Depois que Júlio César dominou geral, deu o nome de “Lutécia” e o motivo mais aceito é que vem do latim Lutum, “lama” pra relacionar com as terras pantanosas do lugar, já que tava à beira do Sena. Entrando na Cripta Arqueológica que fica bem em frente à catedral de Notre Dame é possível descobrir isso e mais.

15 de junho de 2015

O marco zero de Paris – Parte I

Fica bem em frente à catedral de Notre-Dame. Nem sabia que Paris tinha um ponto de partida de onde se mede tudo. Ao menos teoricamente. Mas claro, tudo tem muita história por trás. A catedral de Notre-Dame fica na Île de La Cité, uma das duas ilhas bem no meio de Paris rodeadas pelo rio Sena.

9 de junho de 2015

A Casa e o jardim coloridos de Monet

Fomos pra Alta Normandia, pra cidade de Giverny, norte da França. É lá onde Claude Monet, reconhecido como precursor do Impressionismo, viveu de 1883 até sua morte em 1926. Saímos de trem de Saint Lazare até Vernon e de lá, pegamos um buzu que já fica esperando o bando de gente pra sair junto. Ah e uma dica é ir logo no primeiro horário, porque chega primavera ou verão, tudo fica mais lotado por aqui. Mas quando digo lotado é lotado mesmo. Pra tirar uma foto sozinha, querendo aquele cenário divo só pra ti…quén, quén, quén…Mas então, assim que a gente chega, a primeira conclusão nítida e sem controle é tomada: Melll dellsss que lugar lindooo!!! E olha que tava nublado.