13 de maio de 2015

Como fazer decoupage em letras de papel

Em DIY

Conta a história que a Decoupage nasceu aqui na França, no séc XVII, quando as porcelanas chinesas começaram a se espalhar pela Europa. Geral se encantou com porcelanas decoradas, com desenhos, o que até então não era visto e começou a copiar. Pensaram: ” Je querê fazê lo mesmô! Mé je non saber pas!” Mentira, ninguém falou assim. Isso sou eu com descaração 😀 Mas sério, segundo a história, os admiradores das tais e belíssimas porcelanas, começaram a recortar desenhos e colar em pequenos objetos. Logo, a ideia se espalhou pela Europa e durante as décadas pelo mundo.

A palavra deriva de “Découpage” ou “recortar” e é mesmo a base da técnica. O que era feito apenas com gravuras, imagens separadas e desenhos cuidadosamente recortados, hoje é  mais livre, com papéis picotados à mão e aplicados em bases diversas. A indústria para o artesanato se desenvolveu e papéis, colas, vernizes próprios para esta arte foram criados. Marcas que trabalham exclusivamente com a técnica nasceram e o número de adeptos só cresce. Eu entrei pro bolo quando topei com a Décopatch.

1

Os materiais são ótimos, as folhinhas finas, a cola com um brilho bem bacana e as peças super criativas. Escolhi as letrinhas porque se tu lembra desse projetinho aqui, sabe que sou fã de letra na decor. Há tempos queria também ter o meu “Oxe” porque ô palavrinha que não sai da minha boca. E do meu coração, da minha raiz. A coisa é muito simples. Cada pacotinho é vendido com três folhinhas maiores que o tamanho A4, rendem bem. Algumas peças da Décopatch já estão com a aplicação de gesso meio líquido, o que melhora o acabamento, qualidade e finalização. Mas o gesso também é comercializado separadamente.

Pra começar, só é picotar o papel com a mão. Só. Você define o tamanho e largura. Não gosto de muito pequeno, pois assim, penso que a estampa não é valorizada.

2

Depois de cortar, apliquei cola na peça com o pincel. E com o próprio pincel peguei o papel. Isso ajuda muito, por mais simples que pareça. Traz agilidade pra o projeto, porque a depender de qual resultado a gente queira, demora. Em seguida, coloquei o papel e apliquei mais cola por cima.

4

E aí você vai montando a peça.

5

O papel é fino e as letras em questão já estão com o gesso que te falei lá em cima, já comprei assim. Logo, por conta da base clara, os encontros do papel ficam um pouco mais visíveis e a camada de papel mais fina. Eu quis engrossá-la e adorei o final. As cores ficaram mais escuras, fortes e a estampa misturada. Não apliquei verniz, o brilho da cola já tá de bom tamanho pra mim.

9

Aproveitei que tinha um gatinho e dei cor no bichinho. Aí a diferença que te falei acima. A base do gatinho é marrom, não apliquei o gesso. Os encontros do papel não ficaram nítidos e preferi deixar uma camada só.

8

E quando gosto de uma coisa, minha gente, vou me embora, faço até enjoar. Lembra que te falei da Fâ ontem por aqui? Como boa gaúcha, a marca desta amiga é o “Bah” então, foi um presente certo quando ela comemorou mais um ano de vida! Tri legal!

10

Se for uma mineirinha, “Uai”, paulista, “Meu”, do Pará, “Égua” e por aí vai! 😀 Eu gosto de aplicar as letrinhas com fita banana na parede, mas quero esperar voltar pro meu apê pra fazer isso. Então, por enquanto, meu “Oxe” vai ficando pelas prateleiras do nosso novo studio.

11

Se não encontrar as letrinhas, faz a tua, oxe! Lembra que já fiz? Se quiser rever este PAP clica aqui e pra baixar as letrinhas, aqui. Separa as letras que quiser e depois imprime tudo, ó que fácil?

6

E pra lembrar o resultado delas da decor do nosso canto, aqui:

13

Se quiser um efeito lisinho na letra, lembra da dica.

7

Em papelarias você pode encontrar o gesso, vende em potinhos. Se não encontrar, outra dica é imprimir as letras em um papel já mais grossinho, aí ficam bem firmes. Foi assim que fiz na primeira vez. É isso, gentes! Bora encher nossa parede do que somos nós. Do que tá na nossa boca, coração. Pra gente não esquecer o que a gente é, nem do que gostamos de ser.

Um beijo!