26 de agosto de 2015

Dicas de Paris – Parte II

em Roda, menina!

Seguindo com algumas dicas sobre Paris que achei bacana te falar. Se não viu as de antes, clica aqui , beleza? Quem sabe te ajuda. E se tiver alguma pra acrescentar fica à vontade e deixa aqui nos comentários. A gente junto tudo!

TELEFONIA

Quén, quén, quénn… Quando eu li que por muitas vezes o sistema de telefonia em Paris deixava a desejar eu não botei fé. Até ficar sem sinal de cel dentro de casa e cri cri cri… Hoje em dia todo cel que conheço é desbloqueado e isso é necessário pra usar um chip na França. As principais operadoras são a Orange, SFR e Free e pra comprar um chip delas é preciso ir até às lojas. Existem outras como a Lebara, Bouygues e Le French Mobile, mas as três anteriores são as que usei e as que os amigos também

A Orange foi a primeira. Chip e o plano ficaram por 20 euros, mas com ligação e internet limitada. Nos viramos com ela por algum tempo até a gente se situar. Achei caro pra oferta tão ruim. Fizemos o plano da Orange do Saint-Germain des Prés.

serv32

Mas os amigos indicaram a Free como opção mais barata. A loja que fomos fica em Opéra e os planos foram bem mais bacanas. Com o mesmo valor, tinha tudo ilimitado, mas caso não quisesse um plano, a opção é comprar no caixa da própria Free, um chip, que se bem me lembro sai por 2 euros e pouco e fazer o mesmo esquema aqui no Brasil pagando pelo que usa, diretamente pelo cartão de crédito. Tanto a Free como a Orange oferecem internet Wi-fi por Paris, mas é lenta demais e olha lá quando dá pra conectar. Já o 3G é rapidão e era o que sempre usava.

serv8

A Free Center fica em Opéra (Operrá), 8 rue de la Ville l’Evêque. Pegando o metrô linha 12, desce em Madeleine e procura pela Boulervard Malesherbes. A entrada da rua de la Ville fica à esquerda pra quem sai do metrô.

BANCO 

Usamos o Banco do Brasil e em Paris fica na Avenue Kléber. Metrô linha 1, fim de linha, descendo em Charles de Gaulle – Étoile. A quantidade de saque é limitada por dia, num valor muito baixo diante do que é a cidade e as taxas de juros são, digamos, de partir o coração em picadinhos minúsculos. A dica é utilizar o cartão de crédito internacional sempre que puder e com a bandeira Master, pois as taxas são menores. E não há opção de débito neste esquema, tipo, cartão brasileiro internacional sendo utilizado em Paris. Mas esta dica é muito mais pra evitar sacar dinheiro, se você não conseguiu trazer tudo trocado do Brasil. Se for ficar pouco tempo, faz um esforço e vem com euro trocado. Mas no caso de seis meses e recebendo bolsa, foi difícil, então, todo mês a gente tava lá no Banco. Depois de olhar a conta esvaziando, a gente esquecia esta dor no peito sofrido de estudantes lascados… porque ó o que fica pertinho da avenida?

serv21

O Arco do Triunfo.

 

LIVRARIAS

Melll delllsss!! São perfeitas! E ó, como a viagem era pra estudos, o que a gente bem rodou foi por livrarias. Claro, não por todas, impossível seria, mas por grandes e importantes que quem sabia muito indicava. Te digo logo as minhas duas preferidas, pelo preço e pela incrível variedade. Cara, descobri tannnta coisa legal! <3 Esta primeira fica no Saint-Germain des Prés e é de não querer sair mais. Em algumas áreas como Cinema, Fotografia e Artes ela é uma das mais indicadas, a Librairie Eyrolles. Também é editora.

22

Em frente, na esquina, uma Eyrolles SÓ de artes manuais. Ooo gente, eu trouxe um total de 25 livros e revistas, com 3 malas de excesso e se pudesse, te juro, traria mais. Mentira, traria não, já tava no limite. Ainda no Saint-Germain, outra muito bacana e que adoramos é a L’Écume des Pages. Alguns títulos de arte só encontramos aí e o preço é mesmo muito bom. Melhor que a Eyrolles muitas vezes. Fora o atendimento que é muito bom, pessoal simpático que consegue fidelizar com gosto.

23

A segunda é a Gilbert Joseph e a Gilbert Jeune. A primeira é enorme, ao menos a que visitei e fica na Boulevard Saint-Michel. São andares com livros novos, em promoção, semi-novos e artigos de papelaria também. Pra chegar e andar pouco é melhor pegar o metrô linha 10 descer em Cluny-La Sobornne. A gente fez tudo à pé porque a gente morava no Saint-Germain e fica pertinho, no vizinho do famoso Quartier Latin. Na verdade, eu comecei a considerar tudo um só de tão misturado. O Quartier é mais animado, com muitos jovens e é conhecido como o bairro dos estudantes, então tem muita livraria, papelaria e bar. Se precisar comer, se joga pelo Quartier e se diverte. Os preços são bem convidativos.

Dentro do próprio Quartier Latin, fica a minha queridinha, a Gilbert Jeune na place Saint-Michel. Metrô linha 4 descendo em Saint-Michel pra chegar. Não tem erro. O lugar também é movimentado, não só por ficar no Quartier, mas por ficar a poucos metros da Notre Dame, então é gente pra caramba. Quando ia, sentava no chão e me perdia. Cheguei a pegar uma caixa que a vendedora apoiava os pés pra sentar porque ficava horas, “Dá licença, fia? Tô ruim dos quarto :D” e pronto, sentava. Os títulos de decor, bricolagem e artes manuais ficam nela e já comprei livrões por 3 euros. Sério. Pertinho daí ainda tem outra parte da Gilbert, não tão movimentada, mas é onde ficam os livros sobre esoterismo, astrologia, feitiçaria pra trazer a pessoa amada e etc 😀 Pra quem foi uma adolescente fã de Hocus Pocus (assisti mais de 30 vezes e decorei as falas, só te digo isso) é um encanto!

Outra bacana e vazia <3 é a livraria da loja Cultura. Fica no complexo comercial e administrativo de La Defense, fora de Paris. Pegando o metrô linha 1, só é descer no final da linha, em La Defense mesmo. Você já sai dentro do complexo e parece que você viajou pro futuro, saindo daquela Paris antiga e clássica. Prédios com arquitetura futurista te aguardam pra você gastar seus eurrôs. No shopping Les Quatre Temps é onde a Cultura fica e onde comprei alguns livros bem bacanas. O preço não é tão bom quanto a Gilbert, não mesmo, mas vale à pena porque o que tava faltando nas outras, encontrei nela.

Serv1

ESTUDOS

A depender do que queria, estudar em Paris pode ser mais barato do que você pensa. Uma especialização por exemplo, pode sair por menos de 300 euros por ano. Se te interessa, clica aqui e saiba mais. No nosso caso, estudamos de duas maneiras em Paris, por meio de um doutorado “sanduíche” que te expliquei tudinho aqui e particular, pagando um curso de francês. Os cursos de francês em Paris sempre são bons investimentos. Alguns mais caros, outros nem tanto e outros, de graça. O da Aliança Francesa ou da Sorbonne são bem procurados e quem fez, diz quem é bom, mas o meu bolso não teve afinidade, digamos. Já o gratuito oferecido pela prefeitura é bastante concorrido e precisa de inscrição presencial que abrem duas vezes por ano.

Ainda bem que quando se trata de estudos, as informações pela net em outros sites e blogs são muitas e sempre bacanas. Depois de muito pesquisar, comecei a estudar na Atelier 9, uma escola com cara de casa e foi muito bom, pra mim e pra minha conta bancária. Morro de saudade. Já fiz um post contando tudo sobre esta experiência tão bacana! Clica aqui, não deixar de conferir, mostrei cada parte e como funciona tudo. Comecei com uma turma super diversa, com gente das Filipinas, Polônia, EUA, Inglaterra, México, Espanha e uma professora querida, a jovem Hèlene.

Untitled-99

Ao longo do curso, o tempo de cada um vai acabando, mudando os horários e dias. Minha professora mudou e entrou a alegre Anna, de cabelo curtinho. Ria muito com Anna! E foi assim, com um turma bem reduzida que cheguei feliz e realizada ao final.

serv13

Pra quem se interessou depois de ler o post sobre a Atelier 9, aí segue o e-mail: latelier9@latelier9.com.

 

FARMÁCIAS

Aí, povo de Deus, é preciso se jogar na maravilha das farmácias Parisienses. Grandes marcas de cremes pra o rosto, corpo e cabelo por preços absurdamente mais baratos que aqui. Todo mundo já falava e vi que é de vera. Rodei  pra lá e pra cá e achei quatro com melhores preços. Grande parte dos turistas brasileiros vão direto pra Citypharma  do Saint-Germain des prés. É quase impossível andar pelos corredores e achar algo. O que se vê é gente com sacolas enormes enchendo tudo. Como não ia fazer isso, só comprar mesmo pra mim, fui perto de fechar, quase às 19h uma única vez, porque não tive saco, de tão cheio. Pra chegar, linha 4 descendo em Saint-Germain des prés, 26 Rue du Four. Uma cruz verde iluminada em neon é sempre o símbolo das farmácias de Paris.

Aí, se quiser evitar a muvuca, há uma vazia e com preços tão bons quanto. Fica em 10-12 no Boulevard Saint-Michel. É a Pharmacie Bader. A linha completa da Mavala por exemplo têm preços ótimos. Pra chegar, metrô Saint-Michel, linha 4.

serv43

Agora, a mais completa que achei, sem dúvida, maior e com atendentes que falam português, caso precise é a farmácia da Place Monge. Caral.., digo, caraca, que enorme! Que ótima! Produtos por 6, 8 euros que no Brasil custam quase ou mais de 100 reais. Ui, meu rim. Então, Bioderma, Vichy, La Roche e tantas outras com preços excelentes. Pra chegar, metrô linha 10, descendo em Place Monge, pegando a saída da place. Ali perto ainda tem um dos melhores museus de Paris que é o Museu de Arte Natural e ainda, uma região, ou melhor, uma rua com lojinhas, feirinhas e cafés muito legais e fofos que é a rua Mouffetard. Só é seguir pra direita aí da placa de estacionamento, tá vendo?

monge

E por fim, uma pequeninha, mas que também você pode encontrar bons preços de vez em quando é a dos Archives. Fica em frente ao BHV, ao Hôtel de Ville, perpendicular à Rue du Rivoli, a mesma do lugar barato onde comemos muito que te falei ontem aqui

serv42

COMPRAS

Aí já tem gente com assanho que eu sei… To sentindo pelas ondas cibernéticas. Vou começar por um item que menos comprei em Paris: roupas. Consumi bem pouco, na verdade, se pudesse, mandava fazer todas a minhas roupas, nada de comprar assim. Mas bati perna até comprar e recebi dicas muito legais também. Não, não uso grandes marcas. Vi muita gente falando da Mango, Pimkie e outras marcas, considerando-as baratas, mas achei preços muito melhores na H&M. Muito minha cara, misturando bastante básico com boho, floral e cintura alta que tinha a imensa dificuldade de encontrar no Brasil. A maior e melhor, na minha opinião é a H&M do Saint-Germain des Prés, no 6º arrondissement.

26

Ainda sobre roupas, algumas coisas da Zara valem bem à pena também, mas nela comprei quase nada. Me apaixonei de verdade por outra marca que conheci, a Stradivarius, mais uma dica da amiga Ta <3 O básico, os acessórios e os jeans da Stradivarius são realmente muito bons. Se já acompanha o blog há um tempo, sabe que sou filha e neta de quem muito costurou. Quase a família toda. Minha relação com roupa vai além de grife ou etiqueta, penso em um monte de coisa antes de comprar. Tive um tio que costurava jeans perfeitamente e fazia saias lindas pra mim e pra minha irmã. Desde que ele morreu há um bom tempo, nunca mais usei uma bela saia jeans como gostava. Encontrei o modelo, digamos, afetivo, na Stradivarius.

Consegui comprar meu número como aqui no Brasil, pra blusas, vestidos, saias. Agora, calças são mais justas que as nossas, então comprava um número maior. Calçados são dois números a mais. Ia na Stradivarius da Rivoli.

serv24

Há lojinhas bem bacanas no 20º arrondissement também. Em uma avenida que não lembro o nome agora :/, mas que liga à praça da Republique ao 20º e é repleeeta de lojinhas com preços muito bons. Agora, se quer comprar bastante sem gastar, a Primark é um lugar bom pra isso. A qualidade de algumas peças não são tão boas quanto a H&M por exemplo, mas tem muiiiita coisa que é mesmo boa de comprar nela. Há algumas lojas da Primark perto, mas todas fora de Paris. Fui conhecer a de Creteil. Pegando a linha 8 do metrô dá pra chegar. Esquece e dorme 😀 É looonga a depender de onde esteja. Descia em Creteil – Prefecture já dentro do shopping. Ficava bem distante pra mim, então pra ir lá, só mesmo pra conhecer a Primark. É realmente muito barata, mas não gostei, não. As outras lojas de Creteil,  você encontra tudo na Rue du Rivoli, por exemplo.

serv25

Mas se não curte nada disso, se perde pelos brechós, no Marais, então… Passei em vários por lá, mas realmente roupa não era item principal da minha lista. Nem perfume, maquiagem e etc. Já creminho pro rosto e cabelo, skjfnwekjf ss Ui, gente, meu dedo tá dfdjadjskjs tá fdjgdk dormente, ficando duro de tanto digitar, sério… Acho que pode hoje já deu de dica, né? 😀 Amanhã, terceiro e último post entupido de mais lugares pra comprar coisinhas pra casa e fechando aquele roteiro artesanal que comecei, lembra? Se não, só é procurar a tag Roteiro Artesanal em Paris pra ver uma série de posts sobre onde encontrar artigos pra artesanato, tecidos, material e etc.

Bisou e até!