27 de agosto de 2015

Dicas de Paris – Parte III

em Roda, menina!

Humm, voltou, hein… Massa! Paris é mesmo instigante e sempre é bacana poder compartilhar as nossas visões sobre o mundo. É algo mesmo particular como te falei e também pouco diante de tanta coisa que foi vivida por lá. Mas se de alguma forma te ajudar, já tá valendo. Se não sabe, já saiu um primeiro e um segundo post com de dicas diversas sobre Paris. Seguindo com as últimas e maiores dicas, compras. Ê, aê tu gosta..

CASA

Ah, minha gente, foram seis meses postando decor, descobertas, dá uma olhada depois na categoria “Morando em Paris“. Mas te adianto alguns lugares, lojas que, valeiminhanossasinhora… queria morar nelas. Primeirão, IKEA ou “Ikeá”. A loja sueca é uma gigante da decoração pra todos espaços. Existe mais de uma fora de Paris, mas fui na Ikea em Thiais e pra isso, há transporte gratuito em horários específicos da semana. Vale consultar o site da própria loja. Mas os dias são às quartas, sábados e domingos, pela manhã e à tarde também. Peguei o ônibus da Ikea às 16h saindo da Place Denfert-Rochereau. Vindo do metrô só é atravessar a praça e passar provavelmente por uma fila enoooorme porque é ali em frente que fica a entrada das Catacumbas de Paris, um passeio que é bem bacana de fazer também.

Pra chegar à estação de Denfert-Rochereau pode pegar a linha 6. A Ikea em Thiais fica em um centro comercial bonito e pequeno, mas a loja é gigantesca e os preços são incríveis. Depois te mostro o que trouxe <3

serv26

São milhares de lojas menores também por onde eu me perdia por todo tempo que passei por lá. Depois dos estudos, tinha a mania de olhar algumas coisas nos sites de decor de lá e ir conhecer. Geralmente ficava em lugares fora do burburinho de turistas e pra mim, eram daí que surgiam os lugares mais interessantes. Quem lembra do post mostrando o Pavillon des Canaux e a decor que mistura tantos estilos? Moraria fácil neste restaurante que fica no 19º arrondissement.

6

A Bastille por exemplo é outro bairro obrigatório, eu penso. Se você é curioso, mais despojado, cansa dos clássicos, ele é muito interessante. Têm restaurantes espanhóis e indianos em algumas ruas apertadinhas fazendo aquela mistureba de gente pela rua que adoro. Há pequenos ateliês de artistas, lojinhas que reúnem o trabalho de jovens e novos designers, coletivos que saem de outros países pra Paris. Aí eu não entedia, porque sair de um lugar como Alemanha, por exemplo, pra Paris, já que pra mim é tão interessante quanto. Mas o que ouvia era que Paris mantém o status de capital da arte da Europa por uma série de fatores, principalmente educacionais. Se ela é cara em moradia e alimentação, é realmente mais barato estudar, se especializar na França, além de ser também de excelente qualidade. Se torna mesmo referência e isso alimenta o sonho de quem cria. Embora Berlim seja considerada a capital da Cultura.

A Les Fleurs fica na Bastille em duas lojas. Um com coisinhas delicadas, acessórios femininos e outras só com objetos de decoração. As lojas de brinquedo de lá também são encantadoras. Babei por todas.

serv36

Outra fora do roteiro é a Casa. Essa loja é muito boa e mais popular. E os preços são muito legais também. Encontrei-a sem querer quando a gente foi checar um lugar pra alugar, antes de achar o Cadet. Existem quatro lojas Casa pela cidade. Conheci a de Convention, no 15º arrondissement.

serv16

A rede vem da Bélgica e oferece itens pra toda a casa. Até móveis pequenos e é uma fofura! Foi o lugar onde encontrei os melhores valores de conjunto de mesa, pra festa e também aparelhos, como as maquininhas pra waffles, donuts e mais. Letras em madeira grande já laqueadas, vasinhos miúdos lindos pra tempero por 1 euro… Ai, muita coisa boa. Pra chegar na Casa em Convention, linha 12, descer em Convention. O endereço é 11 rue Olivier des Serres e abre aos domingos até 14h. Existem outras lojas em Saint-Lazare e também no chique Boulevard Haussaman.

serv15

Mais conhecida, a holandesa Hema também é outra perdição. Os preços e as fofuras são tão boas quanto a Casa. Maison Jars por 2 euros, os carimbos de biscoito por 4 e tantas outras delicadezas pro lar que a gente gosta. Se bem me lembro são 14 lojas por Paris. Fui na da Rue Rambuteau, no 1º arrondissement, nº 118. Pegando o metrô linha 4 descendo em Les Halles, você sai em frente. Você vai sair dentro de um grande centro comercial que é o Les Halles, vai subindo até chegar na rua.

serv30

serv17

Pra quem pode gastar mais, tem a Confdéco em pleno Marais. Em promo, vale a pena 😀 Mas só de conhecer, já é bom. Há objetos diferentes, criativos e no subsolo, uma pequena linha de móveis super arrojados. Desceu no metrô Saint-Paul, dá de cara, pertinho do Hôtel de Ville, BHV, Rivoli.

serv45

Taí outro lugar necessário conhecer se você gosta de decor também, o Marais. Há muitos criadores independentes em lojas lindas e conceituais. Se vi moda e decor descolada e boa em Paris, foi no Marais. Mas nada que desse pro meu bolso. Sem dúvida, a minha preferida foi a Fleux. A rede é grande, passei por quatro lojas na mesma rua e cada uma com artigos diferentes. Reunindo a criação de artistas do mundo todo. Muitos produtos já conhecidos por nós, por um motivo ou outro. Sem contar que a própria decoração do lugar já é linda. Pra pegar a lista de endereços e como chegar em alguma, clica aqui no site da loja.

serv46

Foto: Fere

serv47

Foto. Fere

Passear pra olhar a decor do lugar foi uma missão. Cansei de tanto olhar coisa bonita e interessante. No Cadet, onde moramos os últimos 3 meses é um desses lugares. Encontrei ateliês que dão aula de costura até cerâmica. Aí ia subindo a ladeira até Pigalle e de lá, pra Montmartre. Pronto, fazia outro roteiro perfeito pra isso. Passava pelas lojas de decoração, de chás, café, restaurante, enfim…muitas. No início da viagem mostrei por aqui algumas lojas em Montmartre. Uma é a famosa La Case de Cousin Paul com suas luminárias de bolinha de linha. O post original tá lá na coluna que assino com o A Casa Que Minha Vó Queria.

7

Ainda em Montmartre, mais luminárias lindas e de todas as formas! É a marca Petit Pan com suas luzes em bambu e seda. Contei tudo sobre ela aqui.

5

Se não quiser bater perna, existe um templo surreal de tirar o fôlego onde você encontra quase tudo pra casa, cozinha, atividades criativas e de bricolagem reunidas que é o Bazar de L’Hotel de Ville ou BHV. Contei minha saga da primeira visita também na coluna no ACQMVQ. Não é barato, mas é cômodo. É só pegar o metrô Hôtel de Ville. Fica em frente à prefeitura de Paris.

6

Tecido, material pra costura assim como aulas? Sobe pra Montmartre. Lembra da tag Roteiro Artesanal em ParisEntão, não deixa de conferir. É uma série de posts te mostrando onde comprar tudo isso com endereço certinho. Uma das minhas preferidas é o L’atelier Frou-Frou. Variedade incrível de tecidos, aviamentos, botões e muito mais.

14A

 

MATERIAL PARA ARTES MANUAIS

Já pra material de outras e diversas técnicas manuais, a que mais gostei foi a Rougier et Plé. Todo e qualquer material pra fazer o que quisesse, encontrava lá. Geennnnte como vou sofrer com abstinência dessa loja! Pausa. Vou ali fora, sentar no meio fio e chorarrrrr. Simplesmente perfeita. Material pra ilustração, modelagem, pinturas em geral, decoupage, acessórios, bricolagem, enfim, tudo. Há duas lojas, uma no Saint-Germain des Prés que achei mais cara e a outra no Marais, a preferida. Metrô linha 8 descendo em Filles du Calvaire, pra chegar. Aí ao lado dela tem um Petshop muito boa também. Claro que trouxe coisinha pros meus bebês <3

serv35

A Loisirs et Creation é outra, digamos, foda. Malzaê. É enooorme e também tem de tudo é de enlouquecer. Só que é cara, com uma diferença considerável muitas vezes. Uma loja fica em Bercy Village, lugar fofo que é super indicado, cheio de bares e restaurantes deliciosos. Quem contou um pouco mais sobre a loja quando foi lá, foi a querida Ma, do Colacorelinha. Há outra loja em Creteil no mesmo shopping que te falei ontem e onde está a Primark. Mas os preços são os mesmos.

serv34

COMPUTADOR PIFOU?

Se precisar consertar o computador, cel ou qualquer acessório mais barato em Paris, corre pra rua Mongalett. Já falei tudinho e como chegar.

MANGUAÇA E AFINS

Além disso, poderia te fazer outro roteiro tão grande quanto sobre os bares legais, festinhas, festivais e tudo mais, mas só é ficar de olho nos cartazes pelos metrôs e ruas que o que bem tem é onde se divertir em Paris. O La Cave, bar em Montmartre descendo as escadas do metrô Lamark é um deles. Lugar querido de uma amiga que morou lá. Ou então o Festival de Jazz em La Defense ou no Saint-Germain. Ou mesmo os shows gratuitos e maravilhosos. Ou o vivo Belleville no 19º ou o animado Menilmontant, no 20º. Ou no cool Comptoir Genéral que é um museu do gueto e misto de bar, loja, cinema, tudo voltado pra cultura negra. Lugar interessantíssimo. Ou vai tomar o melhor Mojito que experimentei na cidade (é, porque não gosto de cerva) no Le Fleurus. E se sentir saudade do Brasil, vai no Mineirinho, apertado, cheiro de fritura, mas com a melhor música do mundo, a nossa 😀 Fomos levados por amigos queridos e gamamos. Peguei shows lindos e pra todos os gostos. De George Benson de graça até artistas locais pelos corredores das estações de metrô, que são ótimos, por sinal. Mas evento é o que não falta. O 104, no 19º  têm uns eventos super alternativos, além dos parques, como o La Vilette. A baladinha já conhecida no Rosa Bonheur dentro do parque Buttes-Chaumont por exemplo, é massa conhecer. Lembro do cheiro, do gosto, da cor de Paris, mas o que mais levo comigo sem dúvida, são os sons.

E tudo de lindo que minha vida por lá me deu, me dá e me dará. Espero que sua passagem por lá seja tão linda quanto a minha foi. Por alguns dias, semanas ou meses, Paris é sempre uma boa ideia.

Se tiver dúvida ou sugestão, manda pra mim, blz?

Meus mil beijos pra vocês!

Eva