15 jun 2015
Viagem

O marco zero de Paris – Parte I

Fica bem em frente à catedral de Notre-Dame. Nem sabia que Paris tinha um ponto de partida de onde se mede tudo. Ao menos teoricamente. Mas claro, tudo tem muita história por trás. A catedral de Notre-Dame fica na Île de La Cité, uma das duas ilhas bem no meio de Paris rodeadas pelo rio Sena.

1

A Notre-Dame ou “Nossa senhora” levou 180 anos pra ser construída e é uma mistura do estilo românico com o gótico. Foi tanto tempo pra ficar pronta, que as influências estéticas iam mudando mesmo, de acordo com o tempo, com a política, história, cultura e por aí vai.

2

Ali em frente fica o marco do ponto zero. Todo pisado porque, dizendo o povo, que quem vem à Paris e dá uma voltinha em torno do ponto, volta pra cá outras vezes! Ô, amigues, dei tanta volta, tanta volta, mas tanta que fiquei tonta, caí e vomitei o meu crepe 😀 Rá! Pegadjenha nojéénho!

5

Tá muito engomadinho esse post, tá não? Tô achando. Então vou logo abrir o bico e dizer que acho a praça um tanto monótona. A praça onde a catedral fica, Parvis, deriva de “Paradisus” e durante muito, muito tempo o local foi marcado por procissões e cerimônias abertas pra abençoar a cidade a partir do coração dela. Massss segundo Paris: Biografia de uma cidade que já li partes, a coisa é, digamos, diferente. É que, segundo o autor, virando um das esquinas havia um famoso centro de prostituição “autorizado” pela igreja na época da construção. A galerinha levantava a batina e corria pra lá. Por ali na praça também havia alguns troncos onde os membros da igreja (que tinham voltado de perna bamba da casa vizinha) amarravam os cheios de pecados para punição. E se alguém chiasse mais, era levado pra uma roda amiga onde hoje é o Hôtel de Ville. A roda servia pra quebrar as partes do corpo do povo que a igreja julgava. Ê, mundo véi… Aí a gente olha pro lugar assim, acha lindo e nem imagina o que aconteceu por ali…Ok. Não dá pra ficar doida fuçando toda a história de onde a gente pisa, seria frustração demais, né não? Mas estando no velho mundo, é bom descobrir.

3

Masss, a igreja é linda sim, incrustada de detalhes e saber que tudo foi feito por inúmeras mãos, assusta. O visitante pode subir na igreja pra ver tudo de perto e a cidade do alto ou então pode ir receber milho na cabeça pra tirar foto entre os pombos logo ao lado. Ó, eu adoro bicho mais que tudo nessa vida, mas já recebi cagada de pombo e de urubu na cabeça, então, tenho trauminha 😀 São fofinhas, gordinhas, owwnti, atólo, mãezi, mas só pra olhar. A fila estava grande no dia e eu estava mais interessada em ver a cripta arqueológica que guardam restos de Paris antes dela ser o que é.

6

Mas o que Paris era antes de ser Paris eu te conto amanhã! Diz que volta? Por favorzinho….? Como…? Fala mais alto..? Ebaaaa! Então, grand bisou, à bientôt!

 

 

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *