03 set 2017
Decoração

Meu pequeno estúdio feito à mão

É claaaaro que o primeiro post neste espaço novo teria de ser do meu espaço novo 😀 Gente querida! Disse que ia demorar a voltar aqui e cumpri com maestria. Disse que ia voltar com novidades lindas e também cumpri. Bora vê se consigo cumprir a outra promessa: escrever menos e mostrar um tanto de foto. Esse post era pra ter saído há um tempo, mas dias de adaptação, de cuidado com a saúde e muito trabalho por aqui. A ideia é compartilhar um tiquinho só do looongo processo criativo que durou dois anos pra meu novo site, blog, espaço, negócio nascerem.

Tudo começou quando… Rá! Pegadinha. Se fosse contar assim demoraria mais dois anos pra detalhar cada etapa de trabalho. Mas o que queria dizer é que enquanto ia trabalhando no meu novo negócio também seguia a projetar espaços, casas, apês das pessoas queridas que me procuram. Enquanto gestava o negócio, voltava aos estudos, refazia as etapas, fazia cursos e aplicava ao trabalho. Enquanto entrava as madrugadas pra dar conta de tudo, parava aqui e ali pra não surtar, esmorecia, aprendia e seguia. É mesmo uma jornada de altos e baixos essa de empreender. Mas que eu tô satisfeita com o resultado, eu tô. E ele é um start pra o que também vai desenrolar. Agora chega de prosa, deixa eu contar pra vocês mais ou menos como foram alguns trabalhos.

O site viria primeiro, mas na prática, o estúdio veio antes. Já trabalhava há quase quatro anos em casa depois dos anos de Tevê e o estilo home office começou a me atrapalhar mais que o contrário nos últimos meses. Então comecei a pensar em alugar um pequeno espaço pra começar. “Inesperado” é realmente uma palavra que faz parte da minha vida desde que comecei a empreender então, ela se fez presente quando em sete meses consegui montar a minha salinha. Em dezembro de 2016 comecei a trabalhar em off pra isso. Primeiro encontrei a sala, com preço que pudesse pagar e analisei as despesas e como seria empreender com espaço físico, sendo a administradora desse negócio e como ele poderia ser sustentável. Joguei as ideias rapidamente no Sketch Up, entendendo com tudo ia funcionar e o que não ia também. Deixei algumas ideias de lado.

Fui comprando uma coisa ali e aqui, a cada viagem, a cada vez que recebia qualquer pagamento, planejando cada móvel e tantos outros detalhes. Isso durou meses. Os móveis iam ficando prontos, materiais chegando e o nosso pequeno apê foi engolido: 100 OR! H a j a   p a c i ê n c i a pra passar meses e meses nessa zona. Até os bebês pediam arrego…

Mas depois de perrengue aqui e ali, a sala ficou liberada pra eu entrar com meu time gente boa. Um novo projeto de elétrica, reparo no gesso, troca de piso foram precisos. E quando vi, já estava morta, com meu sovaco com câimbra de tanto pintar e aplicar estêncil. Mais uma vez a parceira querida Stencil Decor chegou junto. Escolhi o modelo Boomerang e apliquei a cor “Verde Espuma do Mar” da Coral. Antes já havia feito a pintura geométrica com a cor “Amarelo Delicado” da mesma marca. Já estava namorando o rosa há muito tempo, então escolhi o “Rosa Novo” e fechei o esquema de cores. Dois dias de trabalho só pra aplicar o estêncil:

Acho que não contei que pra esse projeto me inspirei totalmente na minha vivência em Paris. A escolha por tons pastéis, por madeira clara, móveis com cara retrô… Tudo isso via e vivi no tempo em que morei por lá e saía batendo perna pelos lugares não turísticos e outros badalados como o Marais, um dos bairros mais criativos e efervescente da cidade luz. Juntei tudo aqui dentro da cabeça, do coração, dei a minha cara e meu espaço nasceu.

É claro que não meti a mão na massa só na parede, pra pintar ou pra reparar os danos das paredes ruins (se você acompanhou a saga pelo Instagram há de se lembrar :D) Fiz rapidinho essas mesinhas com os pés airpins que comprei na loja virtual da minha querida Aneenha da A Casa Que A Minha Vó Queria.

Assim também foi com essa pequena estação de armazenamento que fiz na “zona alimentar” da sala. Comprei esses suportes pra xampu numa loja de 1,99, cortei as arestas, pintei com tinta spray dourada e pronto:

A geladeirinha, mais que necessária e útil foi presente da minha irmã Carol e compõe lindamente com os objetos que escolhi, com o trabalho de quem admiro. As ilustrações emolduradas vieram de um livro da FLOW francesas e pra quem ama papelaria como eu, cheio de adesivos, ilustrações é um prato cheio.

Casinha sertaneja da minha amiga querida Toda Coisinha

Coelho de porcelana pra quem é fã de Alice <3 da Collector 55. Plaquinha com letra do meu maior ídolo, Lenine, da Casa Que Tem. Coração Folky do Marcelo Sommer pra Tok & Stok.

Vasos de vidro Mana Bernardes <3

E mais detalhes. Tudo construído com muito carinho, ajuda, trabalho pesado, bastante economia e planejamento. Eu planejo mesmo, pra valer, poupo pra caramba e foco absurdamente. Foco e nada me tira dele.

Sofá feito à mão por Fábio, estofador parceiro.

Marcenaria feita em compensado por João, marceneiro amigo e finalizada por mim. E sim, que quase caiu na minha cabeça porque a parede podre não segurava, lembra que falei no Instagram?

Ainda tô adaptando a rotina de volta à rua, ao trabalho fora de casa, de verdade. É totalmente diferente sair de casa pra trabalhar em um lugar seu, em que você é sua empresa, seja ela do tamanho que for. Organização, produtividade, tudo é diferente. E claro, disciplina, disciplina, disciplina. Aqui não é só um espaço pra trabalhar, criar, pensar… Encontro as pessoas que me contratam pra gente analisar os projetos; também começo em breve a promover encontros sobre empreendedorismo criativo pra um número pequeno de interessad@s e claro, é meu lugar pra dar uma pausa no meio da correria… Ponho um vinil, cuido das plantas… Trabalhar sem precariedade e cuidando de mim é uma das principais metas. Pra vida.

 

Esse site lindão e o novo blog também foram feitos à mão. Desde que quando criei o Ateliê Casa de Maria, primeiro blog querido, há quase quatro anos, eu esboço à mão as ideias de layout, logotipo, o que vier à cabeça, num processo bem analógico mesmo e passo pra pessoa do design e programação. Quase tudo que tenho de ideia das coisas corro pro papel pra desenhar. Quem cuidou de tudo lindamente foi Anne Pires e Márcio Mattos <3 Depois de dez meses  trabalhando layout, logotipo, cores, programação e tudo mais pra nova identidade, segui pra fase final de fotos e quase tive um treco, já estava muito perto de lançar. Entrei num estúdio pra esse propósito pela primeira vez e quem trabalhou junto comigo foi o Arthur Garcia.

Outras fotos do estúdio voltaram pra Anne que ilustrou algumas delas. Amei num grau…

Já as fotos maravilhosas que cês viram acima foram da minha irmã de alma Aline Mattos. Anjo meu que fiz questão de trabalhar pra esse projeto. Só que é aquela coisa, né… Se em estúdio a gente dá uma travada, com sua amiga a coisa pode fugir do controle. Sério. Na sequência: 1) Eu tendo crise de riso. 2) Eu tendo muita crise de riso 3) Eu tenho muita, muita crise de riso 4) “Ainn miga, vai, vai mais pra trás, ahh, vai migura, ossi…” 5) Eu tendo birra com o café expresso que não tomo. 5) Eu imitando a Lili Minha Mãe Deixa de tanto que minha irmã diz que pareço com ela.

Mas é claro que isso foi bastidor, porque o que teve de resultado lindo… E é com ele que encerro esse big post. Dizendo que tô de cá te escrevendo com carinho enquanto escuto “Diáspora” do novo trabalho dos Tribalistas. Dizendo que tô de cá do meu petit estúdio à disposição com meus serviços online pra te ajudar a construir o ambiente que desejar. Dizendo que esse é mais um início e que mais ainda virá. Que fico feliz, grata e orgulhosa de mim mesma por estar vivendo a micro mini revolução pessoal feita por mim e que transformou a minha vida. Vai ser muiiito difícil voltar a trabalhar em empresas que nunca me representaram, exploraram meu potencial criativo e cheias de valores com os quais não concordo. Posso até voltar a ter patroa ou patrão, mas antes, tudo precisa estar alinhado com o que eu sempre quis: liberdade, autonomia, honestidade, humanidade e criatividade. Trabalhar e estudar o empreendedorismo criativo é o que me move há alguns anos. É criar, por nós mesmas, quando possível, as condições, os empregos, as empresas, os negócios que queremos ver no mundo e se sentir representado por eles. E claro, resolvendo o problema de alguém. Falaria muito mais, mas a gente ainda tem muito tempo, né? Volto já, mas antes de ir, te agradeço de todo o coração a paciência em me ler, o carinho de estar por aqui e a companhia gostosa de sempre. É tudo novo. De novo. Um beijo grande e até já!

 

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *