3 de março de 2015

Paperdolls ou pode chamar de loja dos sonhos! (Un rêve de boutique!)

Em Viagem

“Êê minha fia, se prepara, tu vai amar..” Ô povo da boquinha, viu? Dito e certo. Amei muiiito Montmartre! Bairro que fica no 18º arrondisement, no norte de Paris. Mas não vou te falar do bairro não, até mesmo porque pra isso, já têm sites especializados com dicas de Paris. Eu vou, mais uma vez, como te falo, compartilhar o que eu gostar de forma despretensiosa com os olhos voltados sempre pra decor, pra manualidades. Sem dúvidas foi o lugar das minhas lojinhas preferidas até então. Encontrei algumas marquinhas que já gostava antes de vir pra cá e descobri outras totalmente por acaso.

Desci no metrô Pigalle e à direita, uma ladeira estreita. Ali passei em frente a uma lojinha azul clara. Passei direto, quase caí dura e voltei. Pensei: “Uai, jezuizz, que foi isso que eu vi??” Voltei e fiquei olhando pela vitrine o interior da loja. Assanhei e entrei. Caí, levantei, caí e levantei de amóór. Fui recebida por uma jovem simpática, a Manon (Pardon, Manon! Je ne se pas s’il votre prenom est écrit correctment. Et pardon mon français aussie!:D) e misturando inglês com francês a gente conversou um pouco. O suficiente pra dá boas risadas, claro, e saber que os pais dela adoram o Brasil.

Além disso, a Manon me contou que a Paperdolls era uma boutique-apartamento, onde novos e independentes designers de moda, de produtos, acessórios e decoradores vendiam seus produtos e que foi decorada por um design de interiores cenógrafo de filmes. Ahhh, não, era demais pro meu coração. Pedi a Manon pra clicar e agora compartilhar a delicinha de lugar que é a loja Paperdoll.

A mesa onde a Manon recepciona a gente é simplesmente um fogão antigo. Morri. Cabô post.

3

Rá! Voltei meio zumbi de tanto amóór <3 Delicadeza pura. A sala de jantar, com porcelanas, talheres e cadeira grudada no teto. Armário recebem mais porcelanas pra compor, mas o que está a venda mesmo são roupas e acessórios.

4

1

Por ali ainda na entrada, a mini geladeira autenticamente vintage pra bolsas.

2

À esquerda começava o quarto. Penteadeiras, ganchos e outros tantos itens vintages em meio aos acessórios lindos dos jovens designers.

6

Ainda do lado esquerdo, a sala de banho. E achei lindo como cada objeto ganhou uma outra significação. Roupas e outros acessórios poderiam ter sido colocados dentro da banheira, por exemplo, o que seria um pouco mais comum. Mas adorei a ideia do profissional de deixá-la assim, sem nada, mas tenho maior destaque.

5

Já uma outra foi adaptada pra virar uma banco!….. Ei… cês tão por ainda? Ninguém morreu de amór? Ok. Eu já…poft….

7

Tudo tem romantismo não só pelo vintage, mas por estampas florais e tons clarinhos. E uma opção que a gente conhece e foi usada é a limitação do espaço com ladrilhos. Eles formam pequenos espaços abertos entre o laminado de madeira. Mas a atitude de explorar o teto sempre me encanta. Sempre. Seja pintando ou colocando objetos. Os abajures viraram luminárias e a iluminação indireta e meio difusa deixou tudo mais aconchegante.

13

Outra mesinha na entrada do quarto pra sentar com os clientes que querem ver anéis e outras miudezas dali com calma, sem precisar voltar pra mesinha inicial da loja.

11

A mistura de móvel vintage com papel de parede art déco ou art nouveu pra mim é de uma lindeza sem fim. E a escadinha sugerindo um segundo andar, apoia os sapatos.

12

No salão (perdoa a foto, juro que enxergo normal, mas quando vejo, tá assim. Confesso. Deveria usar óculos desde os 7) estantes de nichos com livros e uma luminária mais moderna pra contrastar.

14

Gostou de alguma roupa? Então, bora provar. Mas é só provar, não vale cair dura de amor aqui dentro deste provador <3

8

E as ma…poft…………………..

9

Ui, minha gente, foi malz aê.. Passei mal, mas já me recobrei. Ali ao lado, a pecinha linda pra guardar mais bijous.

15

Achei a loja uma aula de cuidado. Cuidado com o que traz pra o público, com o que é vendido, com a imagem, identidade e conceito do lugar. Música no volume certo e cheirinho delicado. Funcionária tranquila, educada e simpática. Um primor, com cada detalhe pensado de forma que tudo se torna necessário. Não é à toa que cada item foi disposto assim e assado, que tudo isso forma um inteiro tão harmônico. É impossível um cliente não sair satisfeito, só por olhar. Ah, e querer voltar.

16

E pra quem vier pra cá, vale muito a pena uma visita. Mas quem já quer conhecer a loja (que tem e-shop!) basta clicar aqui. A Paperdolls fica no número 5, Rue Hondon, Montmartre.

Espero que cês tenham gostado! Um beijo grande! (Et outre grand bisou pour Manon. Merci beaucoup!)