14 de outubro de 2015

Porta-recado com tábua de carne: Façam vocês!

Em DIY

Eu gosto muito de pensar algo novo, de tentar, criar diante de objetos comuns e também regionais. Sendo no Nordeste então, a fonte é grande. Mas mesmo se não fosse, os objetos comuns acabam sendo um belo exercício de criatividade e imaginação, penso eu. De tentativas. É que tenho ficado bem inquieta e por muitas vezes incomodada sobre as criações. Talvez a passagem pela França tenha me atiçado mais ainda em buscar recriar de forma mais original o que já é meu, com o que tenho em meu país, o que é da minha cultura, local, regional… sabe? Eu sei, se inspirar na cultura gringa, criar por meio dos projetos de outros artistas de fora é bem bacana, traz um leque grande de experiência, de possibilidades, mas também sinto que pode acomodar. A gente pode chegar ao ponto de só reproduzir o que já foi feito como um processo natural e cadê o nosso toque pessoal e criativo… Tenho feito esse exercício mental e tentado passar pra prática cada vez mais e tem sido bem bom.

Um lugar que amo ir é à Feira livre. Compro os legumes, frutas, flores toda semana, mas antes disso, saio passeando por outras barracas, olhando objetos diversos, conversando com os vendedores, curiando mesmo sobre de onde eles vêm, o que eles sabem, onde produzem e mais. Na última semana saí de lá com uma tábua de carne em madeira clarinha e macia. Depois de pensar algumas horas o que fazer com ela, decidi fazer um porta-recado de presente.

Me propus a criar de forma mais livre, intuitiva, seguindo o fluxo, sem saber direito pra onde aquilo ia me levar. Fui criando desenhos que no meio do processo pensei em transformar em bordado. Apaguei ali, refiz aqui até chegar em algo que gostei, à mão livre mesmo, sem precisão ou simetria perfeita. Com a ajuda da Dremel, esta ferramenta mais que amada que já falei aqui, fiz furinhos maiores e menores. Mais uma aula com a Dremel. Uns furinhos saíram bons, outros não, uns tortin 😀 outros certin, mas eu gostei.

1

2

Comecei a bordar os desenhos com cores que adoro quando misturadas: rosa e laranja. As pitadas de azul vieram depois.

3

Amarrei as sobras e os nozinhos ficaram pra trás. Pra dar acabamento, cobri com feltro e cortei o excesso. Ainda na frente, colei este pedaço de cortiça com cola quente.

4Colei botões e miçangas com cola quente nas taxinhas. Adorei o efeito.

5

 

E é isso! Fiquei apaixonada por esta customização e nova função da tábua de corte. Ela vai pra alguém que amo muito e já já muda a idade: minha irmã! E esse projetinho também foi uma experimentação pra os novos serviços que pretendo oferecer e vão vir por aí. Um beijo, gentenn!

6